16/08/2015

16.08.15 - fim do mundo

os girassóis.

as nuvens

06/08/2015

Tem algo que tá faltando, mas não tá faltando nada

EU NÃO TÔ ENTENDENDO NADA, ALGUÉM ME EXPLICA O QUE TÁ ACONTECENDO?
ninguém nunca percebe que tem esses textos em branco, mas é essa a intenção mesmo.  2015 não tá sendo bem um ano muito real, né? quanta loucura, quanta loucura.

05/08/2015

Eu não nasci pra ler coisas inteligentes

Uma coisa que me intriga é que, dos poucos livros que eu não consegui terminar, a maioria é considerado grandes coisas. A Insustentável Leveza do Ser, O Morro dos Ventos Uivantes, e provavelmente, A Laranja Mecânica estão nesta listinhas. Um outro, bem, é Augusto Cury, mas eu duvido que alguém realmente consiga ler algo dele.

Tem gente que olha torto pra mim quando eu, uma menina tão inteligente, fala que lê John Green, e que adora a escrita da Alyson Noël - nesse caso, até eu me julgo, mas, tanto faz. Fato é que o que a pessoa lê não define inteligência, personalidade grau de cultilidade. Mas todo mundo acha que sim. E por isso, me sinto uma fracassada por não ter conseguido terminar um grande clássico e grande coisa de amor que é O Morro dos Ventos Uivantes. Na verdade, eu não consegui passar da página quinze.

Agora, enquanto luto com o vocabulário hard de Laranja Mecânica, isso me voltou. Todo mundo fala que acostuma depois de um tempo.

Acostuma o cacete.

Algumas palavras eu já sei o que significam numa boa, principalmente as mais usadas durante o livro. Mas é um tédio. É maçante. A história é encantadora (dentro do possível, sabe?). Melhor dizendo, a história é horroshow. Mas que livro chato.

Luto com ele, e já cheguei na metade. Tô conseguindo ficar mais perdida do que quando li um livro em inglês - com meu péssimo inglês. Mas resisto bravamente. E dessa experiência, eu tenho um sugestão que contradiz todas as leis da lógica, do bom senso e da vida: assista ao filme em vez de ler o livro. Cê entende bem mais e vive bem mais feliz.

Beijinhos da Duda que não sabe mais escrever mas que sente falta do bloguinho de ficar falando mal/bem dos livros que leu. Beijinhos.